Pular para o conteúdo

lombalgia e densidade do colchão

Dor nas Costas e Densidade do colchão.

Existe Relação entre os dois ???

Acho que em todo o Brasil é assim, não tenho certeza, mas aqui em Belo Horizonte essa é uma das perguntas mais frequentes que eu mais recebo no consultório :

–  Doutor Daniel eu estou com dor nas costas,  devo trocar de colchão???

A minha resposta é sempre essa:

Eu não sei.

Mas calma, eu vou explicar porque eu respondo assim …. Eu não sei, porque existem vários fatores que vão interferir na troca de colchão. Não é fácil decidir se você deve gastar uma boa quantia de dinheiro em algo que talvez não traga nenhum beneficio. 

Mas antes eu gostaria de avisar que eu não sou especialista na área de sono e também não tenho vínculo com nenhuma empresa de colchão. 

Meu objetivo é tentar educar  você, paciente, com o que há de informação na literatura medica, para que possa tomar a sua decisão de forma consciente e não cair em promessas milagrosas.

Assim, vamos tentar entender cada parte desse problema para que no fim você possa tomar a sua decisão.

Se quiser ver um vídeo resumindo a relação entre Lombalgia ( dor nas costas) e a Densidade dos colchões é só clicar abaixo – se preferir ler – é só continuar. 

Existe um tipo ideal de colchão para todo mundo?

Não. Não existe um tipo que seja melhor para todas pessoas. Seria muito bom se fosse assim. Mas eu tenho 1,96m de altura , você pode ser mais alto, mais baixo, mais magro, mais… com ossos mais pesados

Então o primeiro passo sempre é individualizar.  Um dos passos mais importantes é ir na loja e testar, deitar, sentir o colchão. 

O que diz a literatura médica? o que dizem os estudos científicos em relação a firmeza dos colchões??? Melhor mais macio? Mais duro ? melhor dormir na rede? 

O melhor estudo que eu encontrei foi esse artigo de 2021 – uma Revisão sistemática, que na metodologia científica é algo de muito valor. Aqui os autores avaliam 39 artigos sobre esse tema.

 Gostei desse artigo pois de forma resumida apresenta os resultados de pesquisas feitas nos últimos 20 anos.

Antes de falar da conclusão , vale ressaltar que esses artigos usam a avaliação do comitê Europeu de Padronização – o equivalente ao nosso INMETRO.  Ele divide os colchoes em macios, moderados e firmes, o que é bem diferente da padronização brasileira que classifica de acordo com a densidade. 

 

A conclusão dessa revisão é que a maioria dos trabalhos indica que os colchões de firmeza intermediária são os mais indicados para evitar ou diminuir a dor lombar. Isso pois, nos colchões muito firmes s ombros e o quadril não afundam, o que leva a uma falta de suporte para a coluna e nos macios demais os ombros e quadril penetram exageradamente no colchão, causando desalinhamento da coluna

Mas, e no Brasil?   Aqui usamos a Densidade. 

O que é Densidade – de forma bem simples é a quantidade de espuma em um metro cubico (m3) de colchão. 

É utilizado um D maiúsculo seguido de uma classificação que vai de D18 – D 45 (quanto maior o número, maior a densidade)

O INER – instituto Nacional de Estudos do Repouso é uma entidade criada pelos fabricantes de colchão com a finalidade de fiscalizar a qualidade dos produtos.  É possível ver em alguns colchões o selo pró – espuma.

 

Eles criaram uma tabela da densidade ideal para cada biótipo. Mas eu não consegui encontra na literatura o estudo em que essa tabela foi baseada, assim não consigo dizer se ela é realmente válida e se tem algum estudo sobre lombalgia ou dor nas costas de acordo com essas densidades. 

Então, voltamos ao início:

Você deve trocar o seu colchão?

Vai depender

 – Qual o tipo de colchão:

           Colchão de espuma ou colchão de mola

 – Qual a densidade do seu colchão?

 – Quanto tempo você tem esse colchão – em média os colchões duram entre 5 a 10 anos

 – Qual a sua altura e peso?

 – Mas o principal fator é: como é a sua noite de sono??

  –        Você acorda descansada ou já acorda com dor.

   Em Resumo:

  Se você acorda já com muita dor na coluna lombar, seu colchão tem mais do que 10 anos de uso e ele é muito duro ou muito macio. Você pode considerar trocar ele.

Mas raramente essa é a primeira medida no tratamento conservador. 

– Antes de gastar muito dinheiro com um novo colchão que pode não te ajudar, pense em:

          – Consultar com um bom ortopedista

         –  fazer uma boa reabilitação com uma boa fisioterapeuta

        – Tentar melhorar o seu sono com medidas conservadoras como;

  • diminuir o uso de estimulantes como cafeína antes de dormir,
  • perda de peso;
  • diminuir a exposição a telas, entre outras medidas

           

No fim a decisão é individual.  Somente você sabe se está na hora de trocar de colchão.

Em caso de dúvida entre em contato ou agende uma consulta.

2 comentários em “lombalgia e densidade do colchão”

  1. Meu filho tem 15 anos e foi diagnosticado com escoliose e cifose 66°. Ele precisa fazer cirurgia? Tem hospital que faz essa cirurgia em MG? Qual é o valor total?

    1. Ola Josilene, perdao pela demora em responder.
      Realmente 66 graus é um valor muito alto. Ele precisa de uma acompanhamento com especialista.
      Infelizmente eu nao tenho os valores para te responder pois isso varia muito, depende do tipo de curva, qual a extensao da curva e como ele vai recuperar da cirurgia. Eu opero no hospital mater dei e no Hospital Orizonti (que modestia a parte sao os melhores hospitais de Minas Gerais).
      De qualquer forma terei o maior prazer em ateder voce e o seu filho e tirar alguma dúvida. Aguardo vocês… Abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *